segunda-feira, 12 de junho de 2017

Ariana Grande ao vivo em Lisboa

Ontem lá fui eu toda contente, num dia de sol intenso com um pouco de vento à mistura, a caminho do Meo Arena (na minha cabeça será sempre Pavilhão Atlântico) para ver a Ariana Grande.
Estava mais que ansiosa para ver a piquena a fazer as suas habituais baby faces e o seu tique de estar sempre a puxar o cabelo para a frente! Como já vos tinha dito algures em Fevereiro, o meu namorado ofereceu-me o bilhete para o Golden Circle, por isso, não estava muito preocupada em chegar cedo ou algo parecido porque estava mais ou menos à vontade.
Antes de ver a Ari, houve uma actuação de um DJ qualquer que eu não faço a mínima ideia de quem seja (lamento) e da Victoria Monet. Matem-me mas só conheci a Victoria no concerto de beneficência em Manchester e por isso mesmo só conhecia aquela canção em que ela diz "Better days, better days". Passando à frente a minha ignorância, adorei a performance dela! A miúda tem uns moves muito à lá Beyoncé e tem um pernão que, Deus nos ajude!Ah e claro que aquele vozeirão ajuda imenso.
Por volta das 21h00, finalmente a pequena Ariana Grande decidiu dar ares de sua graça e apareceu em palco e abriu o espectáculo com uma das minhas favoritas, a Be Alright. A voz dela é uma coisa mais que fabulosa e por si só dá uma performance de outro mundo maaaaaaaaaaaaaaaaas, à medida que o concerto avançava fiquei desiludida com uma coisinha: ela comunica muito pouco com o público.
Eu sei que estou muito mal habituada com a minha banda favorita (os 30 Seconds to Mars) que falam pelos cotovelos e contam a vida toda no palco mas a Ariana tem que dar mais à língua porque é isso que cria uma ligação com o público, não é só os tipicos Sing, I can't hear you, Obrigada, I love you, I hope you like it. Sei lá, admito que fiquei tão desiludida com isto, pensei que até ia ouvir um discursozinho sobre Manchester antes de ela cantar a secante Somewhere over the Rainbow.

 Esta falta de comunicação foi DEFINITIVAMENTE um ponto a menos neste concerto.

Mas como já disse em cima, a miúda (porque é que eu lhe chamo miúda se temos a mesma idade?) tem uma voz vinda dos céus pronta para abanar toda a gente! Ela canta muito, mas mesmo muito bem.
E o momento que ela cantou a One Last Time foi tão bonito porque toda, mas toda, a gente cantou e fez um efeito tão bonito e especial naquela arena cheia de miúdas com orelhas de gato.

Resumindo e concluindo, foi um bom concerto.

E já estou satisfeita por ter visto uma das minhas cantoras favoritas ao vivo e ter cantado aos altos berros todas as músicas do álbum Dangerous Woman! Não tirei fotografias nem nada que se pareça mas se quiserem ver alguns vídeos do concerto passem no meu instagram (@joanaffsimoes, sim chamo-me Joana) e vejam os meus stories porque têm lá alguns bocadinhos do concerto.

2 comentários:

  1. No MEO só vi Beyoncé e apesar de adorar o concerto, o sacrilégio que é fazer a viagem, esperar nas filas e afins, dá cabo de mim. Mas vou ao Nos Alive, espero aguentar melhor, pelo menos é ao ar livre :)
    Beijinhooo
    Rtissima Blog

    ResponderEliminar
  2. Também gosto da voz dela (= acredito que não seja uma pessoa super comunicativa, realmente com a profissão que tem, ficava-lhe bem. Mas se o concerto foi bom é o que interessa (=

    ResponderEliminar